Dinâmica - Fazer o bem sem olhar a quem

Objetivo:  Mostrar na prática o que fez o bom samaritano na parábola de Jesus.

Participantes:  Indefinido.

Tempo Estimado:  25 min.

Material:  Figuras ( imprimir em papel canson), tesoura , cola bastão, lápis de cor.    

Descrição:  Após contar a história, o Evangelizador deverá,  dividir ao meio o papel canson  para distribuir a Luísa ou o Luisinho para cada aluno . Cada aluno deverá cuidar do seu personagem, deixando-os felizes novamente.  Portanto, juntamente com o personagem, os alunos  receberão acessórios para colocar sobre eles e  alguns alimentos : curativos, roupa, sapatos, frutas, água (afinal essa aventura deu-lhes fome e sede) e até uma cara sorridente!

História:

Luisinho e a Luisa eram crianças  muito sapecas, gostavam de nadar na praia e depois andar de bicicleta na ciclovia. Mas, certo dia, enquanto estavam no mar,  tiveram uma péssima idéia: decidiram  apostar uma corrida.  Luisinho pegou sua bicicleta, e começou a correr, mas , sem perceber, tropeçou numa pedra , que o derrubou , deixando-o ferido.   Luisa teve um destino semelhante, desequilibrou-se diante de um obstáculo, caiu sobre o galho  e também se machucou. Para piorar a situação, houve uma mudança de  tempo repentina, que os deixou com muito frio. (Obs.: Mostrar os bonecos feito de papel com carinhas tristes e cheios de hematomas) Se estivéssemos passando próximo do local, o que poderíamos fazer para ajudá-los? (Obs.:Deixe que as crianças respondam) Poderíamos cuidar dos seus ferimentos, colocando curativos;  vestí-los com roupas para aquecê-los, oferecer comida e água, de maneira que os deixe felizes novamente.

Comentário: Esteja sempre pronto para socorrer quem sofre, como o bondoso samaritano fez, sem qualquer indagação ao necessitado. Que você faça o mesmo, como Jesus pediu. Nunca pergunte, nunca procure saber coisa alguma daquele que você pode e deve auxiliar. Não se interesse em saber se o pobre, se o doente, se o orfãozinho necessitado é espírita ou católico, se é judeu ou protestante, se é pessoa branca ou de cor. Não se interesse em saber quais as idéias que ele professa ou a politica que ele acompanha. Não cultive no coraçãozinho os odiosos preconceitos de raça, de religião ou de cor. Que você olhe apenas as feridas de quem sofre, para pensá-las. Que você enxergue somente a dor do próximo, para aliviá-la. (Histórias que Jesus contou. Cap. 2. Clóvis Tavares)

(Baseada em autor desconhecido)