Cartilha do bem

        Existem duas forças em luta na Terra, onde Jesus está construindo o Reino de Deus.
        Essas forças são a do bem e a do mal que se manifestam por nossas mãos.
        Temos, assim, por onde passamos no mundo, as mãos iluminadas que estendem o amor e a paz, o trabalho e a alegria...
        E conhecemos as mãos espinhosas que fazem o ódio e o desespero, a preguiça e o sofrimento.
        Há mãos que sustentam a lavoura e o jardim, produzindo pão e felicidade.
        E vemos aquelas que se entregam à miséria e ao vício.
        Mãos que honram a indústria e o progresso.
        Mãos que arrancam lágrimas e multiplicam o infortúnio.
Vemos braços que acariciam... Braços de mãezinhas abençoadas, de pais amigos, de obreiros da paz e da evolução, de enfermeiras abnegadas e de
crianças generosas que asseguram na Terra o Serviço da Luz.
        E encontramos braços que ferem e amaldiçoam, que se entregam ao crime, que humilham os pobres e os pequeninos, que exercem a crueldade, e que violentam a Natureza, aniquilando as plantas e os animais prestimosos.
        Reparamos mãos preciosas que usam a enxada e a pena, auxiliando o celeiro e a educação.
        E surpreendemos mãos infelizes que roubam e matam, estendendo a perturbação e a morte.
        Mãos que levantam templos e lavres, escolas e hospitais.
        Mãos que destroem e dilaceram, enganam e apedrejam.
        Jesus veio ao mundo para que nossas mãos aprendam a servir à Luz do Bem, edificando a nossa própria felicidade.
       Com as d’Ele, curou os doentes, socorreu os fracos, amparou os tristes, limpou os leprosos, restituiu a visão aos cegos...
        Levantou os paralíticos, afagou os velhos e os deserdados, e abençoou as criancinhas...
        Filhos meus, não permitam que as garras da sombra lhes dominem as mãos na vida...
        Sigamos pelos caminhos da Luz, procurando a intimidade com os servidores do bem!
        Observem o brilhante lapidado e o diamante bruto. Ambos são filhos da terra. Um deles, porém, refulge, divino, retratando a beleza do céu, mas o outro jaz encarcerado nas trevas do cascalho contundente.
        Jesus é o lapidário do céu, a quem Deus, Nosso Pai, nos confiou os corações.
        Obedeçamos a Ele, nosso Divino Mestre, buscando-lhe as lições e seguindo-lhe os exemplos, e o Cristo nos farão construtores do Reino de Deus no mundo, conduzindo-nos para a Glória Celestial.

(Espírito Meimei.Cartilha do bem. Psicografado por Chico Xavier)