Cada ave em seu ninho

 O mal reside na furna da ignorância.

 O ódio respira nas trincheiras da discórdia.

 A inveja mora no deserto da insatisfação.

 A tristeza improdutiva desabrocha no abismo do desânimo.

 A perturbação cresce no precipício do dever não cumprido.

 O desequilíbrio desenvolve-se no despenhadeiro da intemperança.

 A crueldade nasce no pedregulho da dureza espiritual.

 A maledicência brota no espinheiral da irreflexão.

 A alegria reside no coração que ama e serve.

 A tranquilidade não se aparta da boa consciência.

 A fé reconforta-se no templo da confiança.

 A solidariedade viceja no santuário da simpatia.

 A saúde vive na submissão à Lei Divina.

 O aprimoramento não se separa do serviço constante.

 O dom de auxiliar mora na casa simples e acolhedora da humildade.

 Cada ave em seu ninho, cada cousa em seu lugar.

 Há muitas moradas para nossa alma sobre a própria Terra.

 Cada criatura vive onde apraz e com quem lhe agrada.

 Procuremos a estrada do verdadeiro bem que nos conduzirá à felicidade perfeita, de vez que, segundo o ensinamento do Evangelho,  cada Espírito tem o seu tesouro de luz ou o seu fardo de sombra, onde houver colocado o próprio coração.

(Construção do amor. Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)