Aurino Costa

            Aurino Costa nasceu em Santíssimo, subúrbio do Rio de Janeiro. Órfão de pai aos quatro anos, Aurino passou sua infância na absoluta pobreza, o que não o impediu de ser o primeiro aluno durante os três anos que pôde freqüentar escola.
            Quando estava com 12 anos, começou a sentir muitas dores musculares, que foram agravando-se, obrigando-o a internar-se em hospitais várias vezes. Sua doença foi diagnosticada como artrite reumatóide infecciosa, sem possibilidade de cura.
            Seu destino estava marcado. A partir dos 16 anos, Aurino não andou mais e por 39 anos viveu deitado porque suas articulações não permitiam que ele sentasse.
            Após o choque inicial que sofreu com o conhecimento de sua doença e das condições em que viveria, poderosa resignação e coragem brotaram no seu íntimo. Aurino voltou-se para Deus. Leu muito. Escreveu para jornais páginas de fé e consolação, apesar de todas as dificuldades que enfrentava. Fez apelos através do jornal e conseguiu um carrinho apropriado que lhe possibilitou a locomoção, embora sempre na horizontal.
            “A misericórdia divina nunca me faltou” - dizia Aurino. “Ela me chegava pelas mãos de uma prima, que me trazia o almoço, de outra que me trazia o café da manhã, de um primo que empurrava o carrinho e me levava onde queria ou de amigos que me traziam o de que precisava. Por outro lado, muitos me procuravam como conselheiro, buscando orientação para seus diversos problemas e a todos atendia com paciência e vontade de servir.”
            Para Aurino, tudo isso que fazia era pouco. E ele começou a idealizar uma instituição que socorresse as crianças com deficiências muito graves e sem família. Com ajuda de abnegados companheiros, tomou todas as providências para a concretização da Obra.
            Em 1965 Aurino Costa inaugurou na Rua Maravilha 308, Bangu, a Ação Cristã Vicente Moretti com oito crianças portadoras de paralisia cerebral. Era a primeira vitória.
            Dois anos depois, Aurino submeteu-se a sete cirurgias terrivelmente dolorosas para que pudesse sentar-se, ou seja, colocar-se na vertical. Para tal, teve que fazer a amputação total de suas pernas, passando a apoiar-se na parte inferior do tronco. Embora preso a sua cadeira de rodas, Aurino tinha agora mais liberdade de locomover-se e também de ajudar.
            A Ação Cristã Vicente Moretti foi crescendo pouco a pouco, graças à coragem e perseverança de Aurino. Hoje, no ano 2001, há 61 crianças internadas e atende a mais de 1000 crianças no ambulatório, através de uma competente equipe técnica com múltiplas especialidades.
            Quando, certa vez, perguntaram a Aurino o que achava da dor, ele respondeu:
            – A dor é fruto da misericórdia divina. É como que um dique a impedir que as criaturas prossigam agindo erroneamente com relação à própria vida. A finalidade da dor é sempre purificar o sentimento..
            Que bela lição de resignação e de vida plena!

(Fonte - Educação do ser integral)