As duas casas (Mt, 7: 24 a 27)

Este é José. Ele pretende construir uma casa e está procurando um lugar. Depois de muito procurar, encontra um rochedo e pensa: - Este é um bom lugar. A pedra do rochedo servirá de base para apoiar a casa.

 E começa o trabalho, que é cansativo, porque ele precisa furar a pedra para fincar o alicerce. E se cansa mais ainda ao assentar os tijolos com cimento.

 A casa fica pronta. Está bonita, está firme.

 Um grande temporal desaba, por dias a fio. Relâmpagos cortam o céu, trovões ensurdecem, a água inunda tudo ao redor da casa. Mas ela está firme, e dentro dela o homem bem abrigado. José foi sábio em construir sua casa de tijolos, sobre a rocha.

 Este é João. Ele também quer construir uma casa e procura lugar. Chegando a um local onde havia muita areia, pensou: - Oba, é aqui que vou construir minha casa. E nem vou usar tijolo ... Usarei umas tábuas ...

 Rapidamente João fez sua casa. Mas ... chegou a ventania, chegou o temporal ...

Que aconteceu com a casa de João? Isto mesmo! Foi ao chão!

...................................................................................................................................................

 Com esta história, quis Jesus dizer que quem não constrói sua fé pensando, raciocinando e trabalhando sempre, fica com a mesma fraquinha, fraquinha ... Quando chegam as dificuldades, o sofrimento, como verdadeiras tempestades, as pessoas se desesperam, gritam, choram, perdem a confiança em Deus. Também, a confiança era tão fraquinha ...

(Aliança Municipal Espíritq de Juiz de Fora - AME-JF)