Alavancas de luz

 Queres distância do mal, entretanto, para que o mal se afaste de nós será preciso esquecê-lo.

 Não podemos ser ingênuos e simplistas, a ponto de ignorá-lo. Urge, porém, não se lhe conferir a honra da atenção permanente, qual se fosse ornamento precioso que devamos embutir na cabeça.

 O caminho da experiência nem sempre surge asfaltado de segurança.

 É indispensável contar com perigos e desarranjos.

 À frente da crise, o motorista suprime o defeito ou liquida o obstáculo, mas, não se detém indefinidamente, medindo as dificuldades que atravessou.

 Certo, na maioria das ocasiões, não afasta o veículo dos empeços a ligeiro toque de dedos, obrigado que se vê, quase sempre, a socorrer-se dos instrumentos de que dispõe.

 De nossa parte, muito dificilmente também, lograremos desvencilhar-nos, a breve esforço, da influência do mal.

 Todos possuímos, todavia, duas alavancas de força que, se conjugadas e usadas devidamente, resolvem quaisquer problemas ou subtraem obstáculos quaisquer: a oração e o trabalho.

 A oração, além de clarear-nos por dentro, granjeia, em nosso favor o Amparo Divino sobre nossas fraquezas, e o trabalho, além de burilar-nos as faculdades, atrai em nosso benefício o concurso do próximo, capaz de atenuar-nos as imperfeições.

 Em todos os desgostos e empeços da estrada, oração e trabalho funcionam, eficientes.

 Sejam eles doenças ou mágoas, frustrações ou contratempos, tentações ou desastres, recorramos a essas chaves de socorro e os caminhos se nos abrirão, amplos e claros, ao calor da paciência e à luz da esperança.

 Perante quaisquer dissabores e provações, empreguemos a oração com o apoio do trabalho e apliquemos o trabalho com o auxílio da oração.

 Através do uso correto de semelhantes indicações, seguiremos adiante de alma livre e coração renovado, entre a serenidade da consciência e a bênção de Deus.

 

(Palavras da coragem. Espírito Emmanuel. Chico Xavier e Carlos A. Baccelli)