A família das tartarugas

No meio de uma grande e linda floresta no meio de enormes pedras, morava um casal de tartarugas.
Dona Dodô e Seu Zico viviam muito tristes, porque não tinham filhos. Sua casa estava sempre silenciosa, sem qualquer barulho de tartaruguinhas brincalhonas.
Certa tarde Dona Dodô foi visitar sua comadre Dona Coelha e conversaram bastante sobre a vida. Dona Dodô falou da tristeza de não ter filhotinhos em casa. Dona Coelha ao contrário dizia que tinha muitos coelhinhos. Era uma alegria vê-los brincando na grama verde do quintal.
Seu Zico foi pescar junto com o Sapo e o Esquilo que eram bons companheiros de pescaria. Tinham um pesqueiro na barranca do rio. Lá divertiam-se a valer. Voltavam sempre com muitos peixes para as mamães fritarem.
Dona Dodô despediu-se de comadre Coelha e voltou para casa. Teve uma surpresa tão grande que quase desmaiou. Na Sua pequena toca, entre as grandes pedras, estavam cinco lindas tartaruguinhas, chorando de fome.
Dona Dodô, esperou seu Zico chegar da pescaria e conversou com ele sobre as tartarugas.
Estavam assustados. De repente apareceram cinco de uma só vez. Estavam alegres, com o acontecido.
Que bom Deus nos mandou estas lindas tartarugas. São os filhos que não tivemos.
Agora já temos alegria e barulho com as crianças brincando, disse o Seu Zico.
Mas como eles iriam continuar morando em uma casa tão pequena, com tantas tartaruguinhas. Teriam que se mudar.
Procuraram.... Procuraram.... E nada de encontrar, um casa maior para todos morarem.
Conversando com Dona. Onça Pintada ficou sabendo que ela tinha uma casa bem maior para alugar. Só que Dona Onça queria de aluguel 10 pés de alface por mês . Ficaram felizes por alugar a casa de Dona Onça, mas teriam que trabalhar bastante, para poder pagar o que a dona da casa queria, além de terem que sustentar as pequenas tartarugas.
Os dias foram passando, Papai e Mamãe, andavam muito cansados, de tanto trabalhar na horta. Faziam canteiros e mais canteiros de verduras e legumes. Apanhavam verdura para os filhotes e para Dona Onça.
Em uma noite de chuva ao voltarem para casa, não encontraram os filhinhos. Levaram um enorme susto.
Onde estarão as crianças? Perguntava a mamãe aflita.
Não se assuste disse o papai. - eles devem ter ido para perto do rio brincar, e se esqueceram de voltar para casa.
Uh... Uh....Chorava Dona Dodô,
_Eu quero as minhas crianças. Procuraram por todos os lugares, sem encontrá-los. Nem sinal deles. Mamãe Tartaruga, já estava cansada de procurar.
Em seguida, avistaram lá ao longe as tartaruguinhas que vinham carregando braçadas de verduras.
Meus filhos, meus queridos filhinhos onde andaram perguntou Dona Dodô enxugando as lágrimas.
Seu Zico foi encontrá-los para saber o que tinha acontecido.
_Papai, Mamãe não se aborreçam disse a tartaruguinha maior.
_Vejam o que nós trouxemos, disse a outra, mostrando um lindo maço de alfaces.
_Meus filhos, não deviam sair de casa assim, sem avisar.
_Mas mamãe, nos só queríamos ajudar. Nós fomos trabalhar, para colher mais alfaces e ajudar a pagar o aluguel. Fizemos uma horta perto do rio e colhemos verduras e legumes para cooperar com nossos queridos Pais.
_Dona. Dodô e Seu Zico ficaram contentes, pois viram que seus queridos filhotes, já estavam crescidos e podiam ajudá-los a trabalhar. Mais contentes ficaram ainda por ver que eles gostavam de ajudar aos Pais, fazendo algum serviço. Isto é COOPERAÇÂO.

(Extraída da Cartilha do brasileirinho)