Aula 9 - O Fluido Universal: origem da matéria *

Ciclo 2 - História: Os pinheiros, conto de natal -  Atividade: LE - L1 - Cap.2- 4- Espaço Universal.

Ciclo 3 - História: O Ferreiro -  Atividade: LE - L1 - Cap.2-1- Conhecimento do principio das coisas ou/e 3- Propriedades da matéria.

 

Dinâmicas: Fluido Universal; Teia.

Mensagens Espíritas: Transformação.

Sugestão de livros infantis:

- A borboleta azul. Lenira Almeida Heck. Editora Univates.

- A vida. Cleo Albuquerque Mello & Rita Foelker. Editora J. R. Editora. 

 

Leitura da Bíblia: Atos – Capítulo 17


17.24 O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens.


17.25 Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, a respiração e todas as coisas;


17.28 porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos, como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.


 

Tópicos a serem abordados:

- Não podemos conhecer o princípio das coisas, pois Deus não permite que tudo seja revelado neste mundo. Não sabemos, por exemplo, como os Espíritos foram criados, mas sabemos que Deus os criou. Para compreendermos alguns mistérios, é necessário certas faculdades (desenvolvimento da inteligência e da moral) que o homem ainda não possui.

-   A Ciência terrestre (por exemplo, a química, biologia, física, matemática etc...) pode nos explicar certas coisas, mas não tudo, pois não pode ultrapassar os limites que Deus estabeleceu. Quando Deus julga útil, permite que os Espíritos superiores revelem certos conhecimentos, que a Ciência terrestre não consegue compreender.

- O Espiritismo nos revela que o espaço universal não é vazio, ele é preenchido por um fluido  etéreo, chamado de fluido universal, que  penetra todos os corpos. A natureza inteira está mergulhada neste fluido, como num imenso oceano. Esse fluido é o éter ou matéria cósmica primitiva, fonte geradora do mundo e dos seres.

- O fluido universal é o veículo do pensamento, da mesma forma que o ar é o veículo do som,  com a diferença de que o som pode se manifestar apenas num raio muito limitado, enquanto o pensamento atinge o infinito.

-  A Ciência terrestre afirma que a matéria é tudo que ocupa lugar no espaço e possui massa. Podemos percebê-la pelos nossos sentidos, por exemplo, vemos os animais, tocamos nos objetos, sentimos o ar  etc.. No entanto, o Espiritismo nos esclarece que existem matérias tão etéreas e tão sutis (leves), que não podem ser percebidas pelos nossos sentidos.

- Albert Einstein (Alemanha,1879 - 1955), em sua teoria da relatividade, explica que existe uma equivalência entre a matéria e a energia (1).  E o Espiritismo nos confirma que toda matéria é energia tornada visível. A matéria visível, refazendo a escala de suas transformações, pode também desagregar-se e retornar ao seu estado fluídico primitivo.

- Toda a matéria é formada pelas transformações de um único elemento primitivo, que é o fluido universal. Lavoisier (França, 1743-1794) já dizia:'' Na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma'' (2). O sabor, o cheiro, as cores são modificações da mesma substância primitiva.

- Pela Química é possível compreender essas transformações. Sabe-se  que a matéria , seja ela animal, vegetal ou mineral , é constituída de átomos. A união entre dois ou mais átomos, forma-se uma molécula. Por exemplo, da união de dois átomos de hidrogênio, com um átomo de oxigênio forma-se a molécula de água (H2O). Mas se for adicionado mais um átomo de oxigênio, forma-se uma molécula diferente: a água oxigenada (H2O2), utilizada para evitar infecções em ferimentos. A água, no estado gasoso, também pode transformar-se em liquido (condensação) e o liquido transformar-se em sólido (solidificação).

- O Espírito é a força oculta, a vontade que governa e dirige a matéria. A matéria não é inteligente. A verdadeira vida, tanto do animal como do homem, não está neste mundo corpóreo. Está no princípio inteligente, que preexiste e sobrevive ao corpo.

- Pode-se dizer que o Espírito é incorpóreo, ou melhor um clarão, pois difere de tudo o que conhecemos sob o nome de matéria (3). Mas ele necessita da matéria, como instrumento, para se desenvolver pelo trabalho que lhe cumpre realizar neste mundo.

- Ao mesmo tempo que os seres vivos progridem moralmente, os mundos que eles habitam progridem materialmente. Em certos mundos mais adiantados do que a Terra, o corpo é menos pesado e menos grosseiro e, por conseguinte, menos sujeito às dificuldades materiais. Em grau mais elevado, é diáfano (transparente) e quase fluídico. Vai desmaterializando-se de grau em grau e acaba por se confundir com o perispírito (corpo semimaterial). Conforme o mundo em que é levado a viver, o Espírito reveste o envoltório apropriado à natureza desse mundo, é como mudar de roupa.

 

Comentários (1): http://pt.wikipedia.org/wiki/Equival%C3%AAncia_massa-energia ; (2): http://pt.wikipedia.org/wiki/Conserva%C3%A7%C3%A3o_da_massa

(3): O Livro dos Espíritos. Questões 82 e 88. Allan Kardec. Data de consulta: 22/06/14.   

 

Perguntas para fixação:

1. Por que o homem não pode conhecer o princípio das coisas neste mundo ?

2. A Ciência terrestre pode nos revelar todos os segredos da natureza?

3. Quem pode nos revelar certos conhecimentos que a Ciência terrestre não sabe, se Deus permitir ?

4. Qual é o nome do elemento que dá origem as diferentes formas de matéria que conhecemos?

5. Qual é o nome da ciência que nos explica como ocorre as transformações da matéria?

6. Qual é o nome dado a pequena partícula (invisível) do qual os animais, os vegetais e os minerais são constituídos?

7. Sabe-se que o veículo do som é o ar, qual é o veículo do pensamento?

8. Qual é a força oculta que age sobre a matéria?

9. Por que necessitamos de um corpo físico, ou seja da matéria, para viver neste mundo?

10. Nos mundos superiores, o corpo físico é tão pesado, quanto o nosso?

 

Subsídio para o Evangelizador:      

             É dado ao homem conhecer o princípio das coisas?

            Não, Deus não permite que ao homem tudo seja revelado neste mundo.

             Penetrará o homem um dia o mistério das coisas que lhe estão ocultas?

            O véu se levanta a seus olhos, à medida que ele se depura; mas, para compreender certas coisas, são-lhe precisas faculdades que ainda não possui.

            Não pode o homem, pelas investigações científicas, penetrar alguns dos

segredos da Natureza?

            A Ciência lhe foi dada para seu adiantamento em todas as coisas; ele, porém, não pode ultrapassar os limites que Deus estabeleceu. ( O Livro dos Espíritos. Questões 17 a 19. Allan Kardec ).

          Quanto mais investiga a Natureza, mais se convence o homem de que vive num reino de ondas transfiguradas em luz, eletricidade, calor ou matéria, segundo o padrão vibratório em que se exprimam.

            Existem, no entanto, outras manifestações da luz, da eletricidade, do calor e da matéria, desconhecidas nas faixas da evolução humana, das quais, por enquanto, somente poderemos recolher informações pelas vias do espírito.(Mecanismos da mediunidade. Ante a mediunidade. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier).

            O vazio absoluto existe em alguma parte no Espaço universal?

            Não, nada é vazio. O que te parece vazio está ocupado por matéria que te escapa aos sentidos e aos instrumentos. ( O Livro dos Espíritos. Questão 36. Allan Kardec). 

            Define-se geralmente a matéria como sendo - o que tem extensão, o que é capaz de nos impressionar os sentidos, o que é impenetrável. São exatas estas definições?

            Do vosso ponto de vista, elas o são, porque não falais senão do que conheceis. Mas a matéria existe em estados que ignorais. Pode ser, por exemplo, tão etérea e sutil que nenhuma impressão vos cause aos sentidos. Contudo, é sempre matéria. Para vós, porém, não o seria.

            Que definição podeis dar da matéria?

            A matéria é o laço que prende o Espírito; é o instrumento de que este se serve e sobre o qual, ao mesmo tempo, exerce sua ação.”

            Deste ponto de vista, pode dizer-se que a matéria é o agente, o intermediário com o auxílio do qual e sobre o qual atua o Espírito ( O Livro dos Espíritos. Questão 22. Allan Kardec ).

            A matéria é formada de um só ou de muitos elementos?

            De um só elemento primitivo. Os corpos que considerais simples não são verdadeiros elementos, são transformações da matéria primitiva.

( O Livro dos Espíritos. Questão 30. Allan Kardec ).

            Há um fluido etéreo que enche o espaço e penetra os corpos. Esse

fluido é o éter (1)   ou matéria cósmica primitiva, geradora do mundo e dos seres.

            Esse fluido penetra os corpos, como um oceano imenso. É nele que reside o princípio vital que dá origem à vida dos seres e a perpetua em cada globo, conforme à condição deste, princípio que, em estado latente, se conserva adormecido onde a voz de um ser não o chama. ( A Gênese. Cap. 6. Itens 10 e 18. Allan Kardec).

            Esse fluido será o que designamos pelo nome de eletricidade?

Dissemos que ele é suscetível de inúmeras combinações. O que chamais fluido elétrico, fluido magnético, são modificações do fluido universal, que não é, propriamente falando, senão matéria mais perfeita, mais sutil e que se pode considerar independente. ( O Livro dos Espíritos. Questão 27. Allan Kardec ).

            De acordo com o que vindes de dizer, os sabores, os odores, as cores, o som, as qualidades venenosas ou salutares dos corpos não passam de modificações de uma única substância primitiva?

            Sem dúvida e que só existem devido à disposição dos órgãos destinados a percebê-las. (O Livro dos Espíritos. Questão 32. Allan Kardec)

            O oxigênio, o hidrogênio, o azoto, o carbono e todos os corpos que consideramos simples são meras modificações de uma substância primitiva. ( O Livro dos Espíritos. Questão 33. Allan Kardec ).

            Donde se originam as diversas propriedades da matéria?

            São modificações que as moléculas  elementares sofrem, por efeito da sua união, em certas circunstâncias. ( O Livro dos Espíritos. Questão 31. Allan Kardec ).

            Os sólidos transformam-se em líquidos; os líquidos, em gases; além do estado gasoso vem o estado radiante, depois, através de refinamentos inumeráveis, cada vez mais sutis, a matéria passa ao estado imponderável. Ela se torna essa substância etérea que preenche o Espaço, tão tênue, que a tomaríamos como o vazio absoluto, se a luz não a fizesse vibrar, atravessando-a.

Os corpos orgânicos ou inorgânicos, nos diz a Ciência, minerais, vegetais, animais, homens, mundos, astros, são apenas agregações de moléculas, e essas moléculas são elas próprias compostas de átomos (2), separados uns dos outros, num estado de movimento constante e renovação perpétua .

            O átomo é invisível, mesmo com a ajuda dos mais poderosos aumentos. Podemos apenas concebê-lo pelo pensamento, tamanha a sua pequenez extrema. E essas moléculas, esses átomos agitam-se, movem-se, circulam, evoluem em turbilhões incessantes, no meio dos quais a forma dos corpos apenas se mantém em virtude da lei de atração (Depois da Morte. Cap.7. Leon Denis) .

            (...) Compreende que a Terra é um magneto de gigantescas proporções, constituído de forças atômicas condicionadas e cercado por essas mesmas forças em combinações multiformes, compondo o chamado campo eletromagnético em que o Planeta, no ritmo de seus próprios movimentos, se tipifica na Imensidade Cósmica.

         Nesse reino de energias, em que a matéria concentrada estrutura o Globo de nossa moradia e em que a matéria em expansão lhe forma o clima peculiar, a vida desenvolve agitação.

        E toda agitação produz ondas.

        Uma frase que emitimos ou um instrumento que vibra criam ondas sonoras.

        Liguemos o aquecedor e espalharemos ondas caloríficas.

        Acendamos a lâmpada e exteriorizaremos ondas luminosas.

        Façamos funcionar o receptor radiofônico e encontraremos ondas elétricas.

        Em suma, toda inquietação se propaga em forma de ondas, através dos diferentes corpos da Natureza. (Mecanismos da Mediunidade. Cap. 1. André Luiz. Psicografado por Chico Xavier).     

        Conforme não mais ignoram os estudiosos e pensadores do Espiritismo, as poderosas sensibilidades etéri­cas, as ondas luminosas disseminadas pelo Universo, o fluído universal, enfim, sede da Criação, veículo da Vida, possui a prodigiosa capacidade de fotografar e arquivar em suas indestrutíveis essências os acontecimentos de­senrolados sob a luz do Sol, na Terra, ou pela vastidão do Infinito. A História da Humanidade, portanto, estaria arquivada em imagens e sons pelo infinito a fora, e, como a da Humanidade, necessariamente a história de cada individualidade, particularmente. Rever, portanto, o que passou, rebuscando imagens e cenas fotografadas nas “ambiências etéricas”, não será, para um Espírito tra­balhador, tarefa muito rara, embora penosa. (Dramas da Obssessão. 2a Parte. Cap. 1. Ditado pelo Espírito Dr. Bezerra de Menezes. Yvone do Amaral Pereira).

            O fluido universal é veículo do pensamento, como o ar é do som?

            Sim, com a diferença de que o som pode se manifestar apenas num raio muito limitado, enquanto o pensamento atinge o infinito. O Espírito, no espaço, é como um viajante no meio de uma vasta planície, que, ouvindo de repente pronunciar seu nome, vira-se para o lado em que foi chamado. ( O Livro dos Médiuns. Cap. 25. Item 5a. Allan Kardec).

O espírito é mais ainda, ele é a força oculta, a vontade que governa e dirige a matéria — Mens agitat molem — e lhe dá a vida. Todas as moléculas, todos os átomos, temos dito, agitam-se e se renovam incessantemente. O corpo humano é como uma torrente vital em que as águas se sucedem às águas. Cada partícula é substituída por outras partículas. O próprio cérebro está submetido a essas mudanças e nosso corpo inteiro renova-se em alguns anos.

            Não se pode dizer que o cérebro produz o pensamento. Ele é apenas um instrumento daquele. Através das modificações perpétuas da carne, nossa personalidade se mantém e, com ela, nossa memória e nossa vontade. Há no ser humano uma força inteligente e consciente que regula o movimento harmonioso dos átomos materiais, segundo as necessidades da existência; um princípio que domina a matéria e lhe segue. (Depois da Morte. Cap.7. Leon Denis)

            Desde que o fluido universal é a fonte da vida, é, ao mesmo tempo, a fonte da inteligência?

            Resp. – Não; o fluido anima somente a matéria. (Revista Espírita. Junho de 1858. Teoria das manifestações físicas.  Allan Kardec).

            O Espírito independe da matéria, ou é apenas uma propriedade desta, como as cores o são da luz e o som o é do ar?

            São distintos uma do outro; mas, a união do Espírito e da matéria é necessária para intelectualizar a matéria.

             Essa união é igualmente necessária para a manifestação do Espírito?

(Entendemos aqui por espírito o princípio da inteligência, abstração feita das

individualidades que por esse nome se designam.)

            É necessária a vós outros, porque não tendes organização apta a perceber o Espírito sem a matéria. A isto não são apropriados os vossos sentidos. ( O Livro dos Espíritos. Questão 25. Allan Kardec ).

            A verdadeira vida, tanto do animal como do homem, não está no invólucro corporal, do mesmo que não está no vestuário . Está no princípio inteligente que preexiste e sobrevive ao corpo. Esse princípio necessita do corpo, para se desenvolver pelo trabalho que lhe cumpre realizar sobre a matéria bruta. O corpo se consome nesse trabalho, mas o Espírito não se gasta; ao contrário, sai dele cada vez mais forte, mais lúcido e mais apto. ( A Gênese. Cap. 3. Item 21. Allan Kardec).

            Ao mesmo tempo que os seres vivos progridem moralmente, os mundos que eles habitam progridem materialmente (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 3. Item 19. Allan Kardec).

            Em certos mundos mais adiantados do que a Terra, o corpo é menos compacto, menos pesado e menos grosseiro e, por conseguinte, menos sujeito a vicissitudes. Em grau mais elevado, é diáfano e quase fluídico. Vai desmaterializando-se de grau em grau e acaba por se confundir com o perispírito. Conforme o mundo em que é levado a viver, o Espírito reveste o invólucro apropriado à natureza desse mundo. ( O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 4. Item 24. Allan Kardec).

            Como deveremos compreender a assertiva dos químicos “nada se cria, nada se perde”?

            -Em verdade, o espírito humano não cria a vida, atributo de Deus, fonte da criação infinita e incessante; contudo, se o homem não pode criar o fluido da vida, nada se perde da obra de Deus em torno dele, porque todas as substâncias se transformam na evolução para mais alto. ( O Consolador. Questão 11. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).

            A matéria, como dissemos, parece ser, no seu princípio, um fluido de uma leveza, de uma elasticidade infinita, cujas combinações inumeráveis dão origem a todos os corpos. Invisível, impalpável, imponderável na sua essência primordial, esse fluido, através de sucessivas transições, torna-se ponderável e chega a produzir, por uma condensação poderosa, os corpos duros, opacos e pesados que constituem a substância da matéria terrestre. Mas, esse estado de coesão é apenas transitório, e a matéria, refazendo a escala de suas transformações, pode também desagregar-se e retornar ao seu estado fluídico primitivo. É por isso que os mundos têm somente uma existência passageira. Saídos dos oceanos do éter, aí mergulham novamente e se dissolvem depois de haver percorrido seu ciclo de vida. (Depois da morte. Cap. 16. Leon Denis)

            Cabe-nos assinalar, desse modo, que, na essência, toda a matéria é energia tornada visível e que toda a energia, originariamente, é força divina de que nos apropriamos para interpor os nossos propósitos aos propósitos da Criação, cujas leis nos conservam e prestigiam o bem praticado, constrangendo-nos a transformar o mal de nossa autoria no bem que devemos realizar, porque o Bem de Todos é o seu Eterno Princípio.

            Compete-nos, pois, anotar que o fluído cósmico ou plasma divino é a força em que todos vivemos, nos ângulos variados da Natureza, motivo pelo qual já se afirmou, e com toda a razão, que “em Deus nos movemos e existimos” (Atos 17:28). (Evolução em dois mundos. Cap. 1. Espírito André Luiz. Psicografado por Waldo Vieira e Chico Xavier).

 

Observação (1): Nos círculos científicos do planeta muito se tem falado do éter, sem que possa alguém fornecer uma imagem perfeita da sua realidade, nas convenções conhecidas. (...) Busquemos entende-lo como fluído sagrado da vida, que se encontra em todo o cosmo; fluído essencial do Universo, que, em todas as direções, é o veículo do pensamento divino. (O Consolador. Questão 20. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).

 

Observação (2): (...)Uma molécula corresponde a uma união entre dois ou mais átomos. (...) Átomo é uma unidade básica de matéria que consiste num núcleo central de carga elétrica positiva envolto por uma nuvem de elétrons de carga negativa. O núcleo atômico é composto por prótons e nêutrons. (...) Os prótons e nêutrons, por sua vez, são compostos de partículas mais elementares conhecidas como quarks. (...) A matéria – seja ela animal, vegetal ou mineral – é constituída de átomos.

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Mol%C3%A9cula, http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81tomo ;

http://pt.wikipedia.org/wiki/Part%C3%ADcula_elementar

super.abril.com.br/ciencia/atomo-cada-vez-mais-subdividido-436451.shtml).

 

Bibliografia:

- O Livro dos Espíritos. Questões: 17, 18, 19, 22, 25, 27, 30, 31, 32, 33, 36. Allan Kardec.

- O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 3, item 19. Cap. 4, item 24. Allan Kardec.

- O Livro dos Médiuns. Cap. 25. Item 5a. Allan Kardec.

- A Gênese. Cap. 3, item 21. Cap. 6, itens 10 e 18. Allan Kardec.

- Mecanismos da mediunidade. Ante a mediunidade. Cap. 1. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier.

- O Consolador. Questões 11e 20. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

- Evolução em dois mundos. Cap. 1. Espírito André Luiz. Psicografado por Waldo Vieira e Chico Xavier.

- Depois da Morte. Cap.7. Cap. 16. Leon Denis.

- Dramas da Obssessão. 2a Parte. Cap. 1. Ditado pelo Espírito Dr. Bezerra de Menezes. Yvone do Amaral Pereira.

- Bíblia: Atos 17:28.

- Sites: Data da consulta: 22/06/14.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Mol%C3%A9cula;  http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81tomo ;

http://pt.wikipedia.org/wiki/Part%C3%ADcula_elementar

super.abril.com.br/ciencia/atomo-cada-vez-mais-subdividido-436451.shtml