Aula 84 - Esforço e Perseverança

Ciclo 1 - História:  Corrida dos sapinhos - Atividade: PH - Paulo de Tarso - 19 - Perseverança.

Ciclo 2 - História:  Esforço e colheita-  Atividade: PH - Jesus - 45 - Perseverança.

Ciclo 3 - História:  A glória do esforço  -  Atividade:  PH - Paulo de Tarso - 20 - Esforço e Perseverança.

 

Dinâmicas: Esforço e perseverança I; Esforço e perseverança II.

Mensagens Espíritas: Esforço ; Perseverança.

Sugestão de vídeo: História: Motivacional - O Sapinho (Dica: Pesquise no Youtube)

Sugestão de livro infantil: Coleção Construindo o caráter. Vá em frente, você consegue. Editora todolivro.

 

Leitura da Bíblia: Mateus - Capítulo 24


24.13 Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.


 

Coríntios - Capítulo 15


15.58 Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão.


 

2 Timóteo - Capítulo 1


1.7 Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, amor e moderação.


 

Tópicos a serem abordados:

- Esforço é uma ação enégica do corpo ou do Espírito para realização de suas tarefas. Ter perseverança significa ter persistência, isto é, continuar insistindo no trabalho que se está ou se pretende executar, de forma que não se interrompa o curso programado.

- O objetivo de todos é alcançar a perfeição. A rapidez desse aperfeiçoamento depende do nosso esforço pessoal. Quanto maior a boa-vontade e submissão a vontade de Deus, mais depressa evoluimos. O progresso dos Espíritos é o resultado do seu próprio trabalho. Entretanto, não devemos ter a pretensão de atingir a superioridade espiritual completa, de uma só vez, pois a evolução é feita aos poucos e ocorre em diversas encarnações.

- Jesus disse: ''Aquele que perseverar até ao fim será salvo.'' Muita gente se desanima diante das dificuldades e prefere estacionar durante muitos séculos na condição inferior. No entanto os bons trabalhadores sabem perseverar, até atingirem as finalidades divinas do caminho terrestre, continuando em trajetória sublime para a perfeição.

- Para agradar a Deus, não basta não praticar o mal, é preciso fazer o bem no limite de nossas forças, porque responderemos por todo mal que haja resultado de não haver praticado o bem.  Portanto, devemos ajudar os outros em tudo aquilo que se faça possível. 

- Nada construímos de bom sem esforço e perseverança.  Não é possível, por exemplo,  conquistar um título profissional, sem dedicar-se aos estudos.  Sem perseverança nos estudos não pode haver aprendizado e sem aprendizado não há progresso. A paciência ensina que todo trabalho começa, mas não se pode aguardar imediato término, porque conquistada uma etapa, outra surge desafiadora, pois o Espírito deve evoluir.

- É preciso também se esforçar para vencer as nossas más tendências, eliminando os sentimentos de egoísmo e orgulho que ainda temos em nós. Devemos estudar o Evangelho de Jesus e os livros espíritas, pois neles encontramos os ensinamentos morais necessários para a esta renovação. Mas somente a aplicação sincera dos ensinamentos do Cristo pode proporcionar a paz e a sabedoria, que é a condição dos Espíritos iluminados.

- Todos os homens são ricos pelas bênçãos de  Deus e cada qual deve aproveitar, com êxito, os “talentos” recebidos (tais como: a inteligência, a riqueza, o poder, a fama, a mediunidade, etc.) , porque, prestarão um dia,  contas de seus esforços.

-  Os Espíritos bons podem cooperar nas tarefas que nos cabe cumprir na Terra, auxiliando nas dificuldades, confortando-vos na dor, estimulando-nos para a melhoria moral, mas as realizações do mundo dependem do nosso próprio esforço. Aqueles que se esforçam no bem recebem maior amparo da espiritualidade. 

- O pensamento e a vontade são as ferramentas por excelência com as quais podemos transformar tudo em nós e ao redor de nós. Ninguém se eleva para as regiões iluminadas, sem esforço máximo da vontade. Através da paciência, da perseverança e do esforço individual no Evangelho, conseguiremos alcançar nossos objetivos e vencer as dificuldades.  

 

Perguntas para a fixação:

1. O que é o esforço?

2. O que é ter perseverança?

3.  O que é preciso fazer para alcançar mais rápido a perfeição?

4. Para agradar a Deus basta apenas não praticar o mal?

5. O que é preciso para conquistar um título profissional?

6. O que é preciso fazer para vencer nossas más tedências?

7. O que é necessário fazer para receber maior amparo da espiritualidade?

8. Quais sentimentos devemos possuir para alcançar nossos objetivos?

 

 

Subsídio do Evangelizador:

         Segundo o dicionário Aurélio o termo  ''esforço'' significa : Ação enérgica do corpo ou do espírito; coragem; diligência; zelo; ânimo; vigor. (http://dicionariodoaurelio.com/esforco). E a palavra '' perseverança'' significa:  Qualidade ou ação de quem persevera;  Constância, firmeza, pertinácia;  Duração  aturada de alguma coisa. (http://www.dicionariodoaurelio.com/perseveranca)

            Esforço (...) pode ser descrito como tenacidade para não se deixar vencer pelo marasmo, pela acomodação, pelo limite de realizações conseguidas. É o investimento da vontade para crescer mais, alcançar novos patamares, desembaraçar-se de toda peia que retém o Espírito na retaguarda.  (Vida: Desafios e soluções. Esforço para equilibrar-se. Joanna de Ângelis. Divaldo P. Franco)

            O objetivo colimado por todos, saibam ou ainda o ignorem, é alcançar a perfeição possível à criatura, aproximando-se do Criador, conforme recomendou o Mestre.

            A rapidez desse aperfeiçoamento está na depedência do esforço pessoal. Quanto maior a boa-vontade e a atividade que o espírito usa, tanto mais depressa ascende ele na categoria espiritual. Isso é possível porque inúmeros são os mundos habitados, materiais e espirituais, e muito grande é a variedade destes quanto ao grau de progresso; a Terra, por exemplo, não é dos piores mas está demasiado longe dos mais adiantados. (Evolução para o terceiro milênio. Parte 4. Cap. 10. Item 16 e 17. Carlos Toledo Rizzini)

            Depende dos Espíritos o progredirem mais ou menos rapidamente para a perfeição?

            Certamente. Eles a alcançam mais ou menos rápido, conforme o desejo que têm de alcançá-la e a submissão que testemunham à vontade de Deus. Uma criança dócil não se instrui mais depressa do que outra recalcitrante? (O Livro dos Espíritos. Questão 117. Allan Kardec)

            O progresso nos Espíritos é o fruto do próprio trabalho; mas, como são livres, trabalham no seu adiantamento com maior ou menor atividade, com mais ou menos negligência, segundo sua vontade, acelerando ou retardando o progresso e, por conseguinte, a própria felicidade.

            Enquanto uns avançam rapidamente, entorpecem-se outros, quais poltrões, nas fileiras inferiores. São eles, pois, os próprios autores da sua situação, feliz ou desgraçada, conforme esta frase do Cristo: — A cada um segundo as suas obras.

            Todo Espírito que se atrasa não pode queixar-se senão de si mesmo, assim como o que se adianta tem o mérito exclusivo do seu esforço, dando por isso maior apreço à felicidade conquistada.  (O céu e o inferno. Primeira parte. Cap. 3. Item 7. Allan Kardec).

             Para agradar a Deus e assegurar a sua posição futura, bastará que o homem não pratique o mal?

            Não; cumpre-lhe fazer o bem no limite de suas forças, porquanto responderá por todo mal que haja resultado de não haver praticado o bem. (O Livro dos Espíritos. Questão 642. Allan Kardec)

            As aquisições de cada indivíduo resultam da lei do esforço próprio no caminho ilimitado da criação, destacando-se daí as mais diversas posições evolutivas das criaturas e compreendendo-se que tempo e espaço são laboratórios divinos, onde todos os princípios da vida são submetidos às experiências do aperfeiçoamento, de modo que cada um deva a si mesmo todas as realizações, no dia de aquisição dos mais altos valores da vida. (O Consolador. Questão 86. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

            Deve o crente criar imposições absolutas para si mesmo, no sentido de alcançar mais depressa a perfeição espiritual?

            O crente deve esforçar-se o mais possível, mas, de modo algum, deve nutrir a pretensão de atingir a superioridade espiritual completa, de uma só vez, porquanto a vida humana é aprendizado de lutas purificadoras e, no cadinho do resgate, nem sempre a temperatura pode ser amena, alcançando, por vezes, ao mais alto grau para o desiderato do acrisolamento.

            Em todas as circunstâncias, guarde o cristão a prece e a vigilância; prece ativa, que é o trabalho do bem, e vigilância, que é a prudência necessária, de modo a não trair novos compromissos. E, nesse esforço, a alma estará preparada a estruturar o futuro de si mesma, no caminho eterno do espaço e do tempo, sem o desalento dos tristes e sem a inquietação dos mais afoitos. (O Consolador. Questão 123. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

            Como devemos proceder para dilatar nossa capacidade espiritual?

            Ainda não encontramos uma fórmula mais elevada e mais bela que a do esforço próprio, dentro da humildade e do amor, no ambiente de trabalho e de lições da Terra, onde Jesus houve por bem instalar a nossa oficina de perfectibilidade para a futura elevação dos nossos destinos de espíritos imortais. (O Consolador. Questão 119. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

            Como iniciar o trabalho de iluminação da nossa própria alma?

            Esse esforço individual deve começar com o autodomínio, com a disciplina dos sentimentos egoísticos e inferiores, com o trabalho silencioso da criatura por exterminar as próprias paixões. Nesse particular, não podemos prescindir do conhecimento adquirido por outras almas que nos precederam nas lutas da Terra, com as suas experiências santificantes – água pura de consolação e de esperança, que poderemos beber nas páginas de suas memórias ou nos testemunhos de sacrifício que deixaram no mundo.

            Todavia, o conhecimento é a porta amiga que nos conduzirá aos raciocínios mais puros, porquanto, na reforma definitiva de nosso íntimo, é indispensável o golpe da ação própria, no sentido de modelarmos o nosso santuário interior, na sagrada iluminação da vida. (O Consolador. Questão 230. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

            A auto-iluminação pode ser conseguida apenas com a tarefa de uma existência na Terra?

            Uma encarnação é como um dia de trabalho. E para que as experiências se façam acompanhar de resultados positivos e proveitosos na vida, faz-se indispensável que os dias de observação e de esforço se sucedam uns aos outros. No complexo das vidas diversas, o estudo prepara; todavia, somente a aplicação sincera dos ensinamentos do Cristo pode proporcionar a paz e a sabedoria, inerentes ao estado de plena iluminação dos redimidos. (O Consolador. Questão 228. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

            Só o esforço individual no Evangelho de Jesus pode iluminar, engrandecer e redimir o espírito, porquanto, depois de vossa edificação com o exemplo do Mestre, alcançareis aquela verdade que vos fará livre. (O Consolador. Questão 219. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

            Todos os homens são ricos pelas bênçãos de Deus e cada qual deve aproveitar, com êxito, os “talentos” recebidos, porquanto, sem exceção de um só, prestarão um dia, além-túmulo, contas de seus esforços. (O Consolador. Questão 57. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

            Devemos contar, de maneira absoluta, com o auxílio dos guias espirituais em nossas realizações humanas?

            Um guia espiritual poderá cooperar sempre em vossos trabalhos, seja auxiliando-vos nas dificuldades, de maneira indireta, ou confortando-vos na dor, estimulando-vos para a edificação moral, imprescindível à iluminação de cada um; entretanto, não deveis tomas as expressões fraternas por promessa formal, no terreno das realizações do mundo, porquanto essas realizações dependem do vosso esforço próprio e se acham entrosadas no mecanismo das provações indispensáveis ao vosso aperfeiçoamento. (O Consolador. Questão 194. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

            No livro '' Os Mensageiros'' o orientador de André Luiz esclarece que aqueles se esforçam na tarefa do bem (como no caso da médium Dona Isabel) recebem maior amparo da espiritualidade:

             ''(...)Quando encontramos companheiros encarnados, entregues ao serviço com devotamento e bom ânimo, isentos de preocupação, de experiências malsãs e inquieta­ções injustificáveis, mobilizamos grandes recursos a favor do êxito necessário. Claro que não podemos auxiliar atividades infantis, nesse terreno. Quem não deseje cuidar de semelhantes obrigações, com a seriedade devida, poderá esperar fatalmente pelos espíritos menos sérios, porqüanto a morte física não significa renovação para quem não procurou renovar-se. Onde se reúnam almas levianas, ai es­tará igualmente a leviandade. No caso de Isabel, porém, há que lhe auxiliar o esforço edificante. Em todos os setores evolutivos, é natural que o traba­lhador sincero e eficiente receba recursos sempre mais vastos. Onde se encontre a atividade do bem, permanecerá a colaboração espiritual de ordem su­perior. (Os mensageiros. Cap. 43. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier).

             Nas atividades espíritas, colhemos do magnetismo sublimados benefícios imediatos, seja no clima do passe, sob o influxo da oração, ou no culto sistemático do Evangelho no lar, por intermédio dos quais, benfeitores e amigos desencarnados nos reequilibram as forças, através da inspiração elevada, apaziguando-nos os pensamentos, ou se valem de recursos mediúnicos esparsos no ambiente, a fim de nos propiciarem socorro à alma aflita ou às energias exaustas. Se abraçastes, pois, a Doutrina Espírita, perlustra-lhes os ensinos e compreenderás que a humildade e a benevolência, o serviço e a abnegação, a paciência e a esperança, a solidariedade e o otimismo são medicamentos do Espírito, transformando lutas em lições e dificuldades em bênçãos, porque no fundo de cada esclarecimento e de cada mensagem consoladora, que te fluem da inspiração, ouvirás a palavra do Cristo: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.  (Leis Do Amor. Cap. 7. Questão 11. Chico Xavier e Waldo Vieira)

             No livro '' Missionários da luz '' relata que numa determinada reunião, dos cinco obsediados que estão em busca de cura, apenas uma jovem revela possibilidades de melhoras mais ou menos rápidas, devido ao seu próprio esforço:

            Gozará a jovem de proteção diferente? (questiona André Luiz)

            O instrutor sorriu e esclareceu:

            - Não se trata de proteção, mas de esforço próprio. O obsidiado, além de enfermo, representante de outros enfermos, quase sempre é também uma criatura repleta de torturantes problemas espirituais. Se lhe falta vontade firme para a auto-educação, para a disciplina de si mesma, é quase certo que prolongará sua condição dolorosa além da morte. (...)Se não desperta para as realidades da situação, empunhando as armas da resistência e valendo-se do auxilio exterior que lhe é prestado pelos amigos, é razoável que permaneça esmagado. Esta, a definição da maior percentagem dos casos espirituais de que estamos tratando. Não representa, porém, a característica exclusiva das obsessões de ordem geral. 

            (...) O instrutor imprimiu ligeiro intervalo à conversação, e, porque visse minha necessidade de esclarecimento, prosseguiu:

            - A jovem a que me referi está procurando a restauração das forças psíquicas, por si mesma; tem lutado incessantemente contra as investidas de entidades malignas, mobilizando todos os recursos de que dispõe no campo da prece, do autodomínio, da meditação. Não está esperando o milagre da cura sem esforço e, não obstante terrivelmente perseguida por seres inferiores, vem aproveitando toda espécie de ajuda que os amigos de nosso plano projetam em seu circulo pessoal. A diferença, pois, entre ela e os outros, é a de que, empregando as próprias energias, entrará, embora vagarosamente, em contacto com a nossa corrente auxiliadora, ao passo que os demais continuarão, ao que tudo faz crer, na impassibilidade dos que abandonam voluntariamente a luta edificante. (Missionários da Luz. Cap. 18. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier)

            Ninguém se eleva, sem esforço máximo da vontade, dos campos do hábito para as regiões iluminadas da experiência. Entretanto, ninguém atinge as múltiplas regiões da experiência sem passaportes adquiridos nas agências da dor. (Livro de respostas. Esforço Máximo. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)  

             Ninguém se furtará, impune, à percentagem de esforço que lhe cabe na obra de aperfeiçoamento próprio.

             As portas do Céu permanecem abertas. Nunca foram cerradas. Todavia, para que o homem se eleve até lá, precisa asas de amor e sabedoria.  Para isto, concede o Supremo Senhor extensa cópia do material de misericórdia a todas as criaturas, conferindo, entretanto, a cada um o dever de talhá-las, semelhante tarefa, porém, demanda enorme esforço. A fim de concluí-la, recruta-se a contribuição dos dias e das existências.  Muita gente se desanima e prefere estacionar, séculos a fio, nos labirintos da inferioridade; todavia, os bons trabalhadores sabem perseverar, até atingirem as finalidades divinas do caminho terrestre, continuando em trajetória sublime para a perfeição. (Pão Nosso. Até ao fim. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

            O pensamento e a vontade são as ferramentas por excelência com as quais podemos transformar tudo em nós e ao redor de nós. Tenhamos apenas pensamentos elevados e puros; aspiremos a tudo o que é grande, nobre e belo. Pouco a pouco sentiremos nosso próprio ser se regenerar e, com ele, do mesmo modo, todas as camadas sociais, o globo e a humanidade! (O problema do ser. Cap. 6. Leon Denis)

            Essa faculdade de representar um ato que pode ou não ser praticado, como definem os bons dicionaristas, a vontade, tem que ser orientada mediante a disciplina mental, trabalhada com exercícios de meditação, através de pensamentos elevados, de forma que gerem condicionamento novo, estabelecendo hábito diferente do comum.

            Necessariamente são indispensáveis vários recursos que auxiliam a montagem dos equipamentos da vontade, a saber: paciência, perseverança, autoconfiança.

            A paciência ensina que todo trabalho começa, mas não se pode aguardar imediato término, porque conquistada uma etapa, outra surge desafiadora, já que o ser não cessa de crescer. Somente através de um programa cuidadoso e continuado logra-se alcançar o objetivo que se busca.

            Tranquilamente se processa o trabalho de cada momento, abrindo-se novos horizontes que serão desbravados posteriormente, abandonando-se a pressa e não se permitindo afligir porque não se haja conseguido concluí-lo.

            A paciência é recurso que se treina com insistência para dar continuidade a qualquer empreendimento, esperando-se que outros fatores, que independem da pessoa, contribuam para os resultados que se espera alcançar.

            Esse mecanismo é todo um resultado de esforço bem direcionado, consistindo no ritmo do trabalho que não deve ser interrompido.

            Lentamente são criados no inconsciente condicionamentos em favor da faculdade de esperar, aquietando as ansiedades perturbadoras e criando um clima de equilíbrio emocional no ser.

        Como qualquer outra conquista, a paciência exige treinamento, constância e fé na capacidade de realizar o trabalho, como requisitos indispensáveis para ser alcançada.

            (...) A perseverança se apresenta como pertinácia, insistência no labor que se está ou se pretende executar, de forma que não se interrompa o curso programado. Mesmo quando os desafios se manifestam, a firmeza da decisão pela consciência do que se vai efetuar, faculta maior interesse no processo desenvolvido, propondo levar o projeto até o fim, sem que o desânimo encontre guarida ou trabalhe desfavoravelmente.

            Somente através da perseverança é que se consegue amoldar as ambições aos atos, tornando-os realizáveis, raaterializando-os, particularmente no que diz respeito àqueles de elevada qualidade moral, que resultam em bênçãos de qualquer natureza em favor do Espírito.

            Quando não iniciado no dever, o indivíduo abandona os esforços que deve envidar para atingir as metas que persegue. Afirma-se sem o necessário valor moral para prosseguir, não obstante, quando se direciona para o prazer, para as acomodações que lhe agradam o paladar do comportamento doentio, deixa-se arrastar por eles, deslizando nos resvaladouros da insensatez, escusando-se à luta, porque, embora diga não se estar sentindo bem, apraz-lhe a situação, em mecanismo psicopatológico masoquista.

            Ê conquista da consciência desperta o esforço para perseverar nos objetivos elevados, que alçam o ser do parasitismo intelectual e moral ao campo no qual desabrocham os incontáveis recursos que lhe dormem no mundo íntimo, somente aguardando o despertamento que a sua vontade proponha.

            Como qualquer outro condicionamento, a perseverança decorre da insistência que se impõe o indivíduo, para alcançar os objetivos que o promovem e o dignificam. Ninguém existe sem ela ou incapaz de consegui-la, porque resulta apenas do desejo que se transforma em tentativa e que se realiza em atitude contínua de ação.

            Da conquista da paciência, em face da perseverança que a completa, passa-se à autoconfiança, à certeza das possibilidades existentes que podem ser aplicadas em favor dos anseios íntimos. Desaparecem o medo e os mecanismos autopunitivos, autoafligentes, que são fatores dissolventes do progresso, da evolução do ser.

            Mediante essa conquista, a vontade passa a ser comandada pela mente saudável, que discerne entre o que deve e pode fazer, quais são os objetivos da sua existência na Terra e como amadurecer emocional e psicologicamente, para enfrentar as vicissitudes, as dificuldades, os problemas que fazem parte de todo o desenrolar do crescimento interior. (Vida: Desafios e soluções. Disciplina da vontade. Joanna de Ângelis. Divaldo P. Franco)

            O Espírito Emmanuel nos recomenda: ''Onde esteja a possibilidade de sermos úteis, avancemos, de ânimo forte, para a frente, construindo o bem, ainda que defrontados pela ironia, pela frieza ou pela ingratidão, porque, conforme a palavra iluminada do apóstolo aos gentios, “Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, amor e moderação”. (Vinha de Luz. De ânimo forte.  Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

      Identificado ao espírito do Cristo, não te deixes consumir pelo desespero ou pela melancolia, sob re­volta injustificada ou indiferença cruel. Persevera, antes, no exame da verdade e insiste no ideal de libertação interior, ajudando e prosseguindo, além, porque se hoje a angústia e o sofrimento te maceram, em resgate que não podes transferir, amanhã rutilará no corpo ou depois dêle o sol sublime da felicidade em maravilhoso amanhecer de perene paz. (Florações Evangélicas. Cap. 46. Espírito Joanna de Ângelis. Divaldo P. Franco)

            Jesus disse: Tende bom ânimo, eu venci o mundo.”(João, 16:33)

            Assim, ocorre, porque todos os construtores do aperfeiçoamento espiritual não estão na Terra para vencer no mundo, mas notadamente para vencer o mundo, em si mesmos, de modo a servirem ao mundo, sempre mais, e melhor.” (Palavras de vida eterna. Na vitória real. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)

 

Bibliografia:

- O Livro dos Espíritos. Questão 117, 642. Allan Kardec.

- O Céu e o Inferno. Primeira parte. Cap. 3. Item 7. Allan Kardec.

- O Consolador. Questões: 57, 86 , 119, 123, 194,  219, 230. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

- Os mensageiros. Cap. 43. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier.

- Leis Do Amor. Cap. 7. Questão 11. Chico Xavier e Waldo Vieira.

- Missionários da Luz. Cap. 18. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier.

- Livro de respostas. Esforço Máximo. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier

- Pão Nosso. Até ao fim. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

- O problema do ser. Cap. 6. Leon Denis.

- Vinha de Luz. De ânimo forte.  Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

- Palavras de vida eterna. Na vitória real. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

- Vida: Desafios e soluções. Esforço para equilibrar-se. Disciplina da vontade. Joanna de Ângelis. Divaldo P. Franco.

- Evolução para o terceiro milênio. Parte 4. Cap. 10. Item 16 e 17. Carlos Toledo Rizzini.

- Site: http://dicionariodoaurelio.com/esforco; http://www.dicionariodoaurelio.com/perseveranca. Data da consulta: 10/02/16.