Aula 10 - A criação dos mundos e dos seres vivos

Ciclo 1 - História: Peixinho Dourado -  Atividade: LE - L 1 - Cap.3- 2- Formação dos seres vivos. (Obs.: Caso o aluno tenha dificuldade em escrever, peça somente para pintar as imagens)

Ciclo 2 - História: A natureza-  Atividade: LE - L1 - Cap.3- 1- Formação dos mundos.

Ciclo 3 - História: O Astronauta e Deus -  Atividade: LE - L1 - Cap.3-6- Considerações e concordâncias bíblicas referentes a criação.

 

Biografia: Galileu Galilei.

Dinâmicas: Universo;  A criação.

Mensagens Espíritas: Natureza.

Sugestão de vídeos:

- Desenhos Bíblicos - A criação (Dica: pesquise no Youtube). Obs.: Adão não foi o primeiro homem a ser criado na Terra.

- Música Espírita: Pra começar (Dica: pesquise no Youtube).

- Música Espírita - Ele tudo fez (Dica: pesquise no Youtube)

 

Sugestão de livro infantil:

- História Bíblicas Favoritas: A Criação. Cristina Marques. Editora Todo Livro. Obs.: Leia somente até o sétimo dia, que Deus descansou ( pág. 6)

- Surpresa no Campo. O grilinho Pula-Pula. Cecília Rocha e Zaira Silveira. Editora Feb.

 

Leitura da Bíblia: Gênesis - Capítulo 1


1.1   No princípio, criou Deus os céus e a terra.


1.2   A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas.


1.3   Disse Deus: Haja luz; e houve luz.


1.4   E viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas.


1.5   Chamou Deus à luz Dia e às trevas, Noite. Houve tarde e manhã, o primeiro dia.


1.6   E disse Deus: Haja firmamento no meio das águas e separação entre águas e águas.


1.7   Fez, pois, Deus o firmamento e separação entre as águas debaixo do firmamento e as águas sobre o firmamento. E assim se fez.


1.8   E chamou Deus ao firmamento Céus. Houve tarde e manhã, o segundo dia.


1.9   Disse também Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num só lugar, e apareça a porção seca. E assim se fez.


1.10   À porção seca chamou Deus Terra e ao ajuntamento das águas, Mares. E viu Deus que isso era bom.


1.11   E disse: Produza a terra relva, ervas que dêem semente e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nele, sobre a terra. E assim se fez.


1.12   A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo a sua espécie e árvores que davam fruto, cuja semente estava nele, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom.


1.13   Houve tarde e manhã, o terceiro dia.


1.14   Disse também Deus: Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos.


1.15   E sejam para luzeiros no firmamento dos céus, para alumiar a terra. E assim se fez.


1.16   Fez Deus os dois grandes luzeiros: o maior para governar o dia, e o menor para governar a noite; e fez também as estrelas.


1.17   E os colocou no firmamento dos céus para alumiarem a terra,


1.18   para governarem o dia e a noite e fazerem separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que isso era bom.


1.19   Houve tarde e manhã, o quarto dia.


1.20   Disse também Deus: Povoem-se as águas de enxames de seres viventes; e voem as aves sobre a terra, sob o firmamento dos céus.


1.21   Criou, pois, Deus os grandes animais marinhos e todos os seres viventes que rastejam, os quais povoavam as águas, segundo as suas espécies; e todas as aves, segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom.


1.22   E Deus os abençoou, dizendo: Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei as águas dos mares; e, na terra, se multipliquem as aves.


1.23   Houve tarde e manhã, o quinto dia.


1.24   Disse também Deus: Produza a terra seres viventes, conforme a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selváticos, segundo a sua espécie. E assim se fez.


1.25   E fez Deus os animais selváticos, segundo a sua espécie, e os animais domésticos, conforme a sua espécie, e todos os répteis da terra, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom.


1.26   Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.


1.27   Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.


1.28   E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.


1.29   E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento.


1.30   E a todos os animais da terra, e a todas as aves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento. E assim se fez.

Capítulo 2


2.1   Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército.


2.2   E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito.


2.3   E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera.


2.4   Esta é a gênese dos céus e da terra quando foram criados, quando o SENHOR Deus os criou.


 

Tópicos a serem abordados:

- Deus criou o Universo. O Universo é infinito, ele é composto por uma infinidade de mundos que vemos (mundo material) e dos que não vemos (mundo espiritual), pelos seres animados (os animais, as plantas, os espíritos encarnados e desencarnados) e inanimados ( a água, o ar, as pedras, os metais etc..), pelos astros que se movem no espaço ( o sol, as estrelas, os cometas, os satélites naturais etc.. ).

- O Universo  subdivide-se em um aglomerado de galáxias, que se subdividem em sistemas solares. A galáxia do qual fazemos parte chama-se Via-Láctea e ela é composta milhões de sóis semelhantes ao nosso. O nosso sistema solar possui oito planetas: Mercúrio, Vênus, Terra , Marte,Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. E também possui cinco planetas anões: Ceres, Plutão, Haumea, Makemake e Éris.

- Na antiguidade acreditava-se que o planeta Terra era o centro do Universo e que o Sol girava ao seu redor (teoria do geocentrismo). Nicolau Copérnico (Prússia, 1453 - 1543), contrariando esta teoria, afirmou que a Terra e os demais planetas, na realidade, giram ao redor do Sol (teoria do heliocentrismo) (1). Galileu Galilei (Itália, 1564 - 1642), inventor do telescópio, era defensor das idéias de Copérnico. No entanto, a Inquisição da Igreja considerou a sua afirmação uma heresia e o condenou a prisão domiciliar, proibindo a publicação dos seus livros (2). Hoje sabemos que o Planeta Terra gira ao redor de si mesmo (movimento de rotação), que tem duração de em torno de 24 horas, resultando na sucessão de dias e noites. Já o movimento de translação é aquele que a Terra realiza ao redor do Sol junto com os outros planetas (3).

- Deus criou os mundos pela sua vontade. Deus disse: ''Faça-se a luz e a luz foi feita''. O Espiritismo esclarece que os mundos são formados pela condensação da matéria disseminadas (espalhadas) pelo espaço. Condensação é uma das fases em que ocorre a transformação da matéria, do estado gasoso para o líquido.

-.  Um mundo completamente formado pode desaparecer e disseminar-se de novo no Espaço, isto é, pode desagregar-se (desunir) e retornar ao seu estado fluídico primitivo.           

-  Os cientistas terrestres acreditam que o planeta Terra tenham se formado cerca de 4,5 bilhões de anos atrás. No entanto, segundo os Espíritos, não é possível conhecer o tempo que dura para a formação dos mundos.

-  A Bíblia ( Gênesis 1:1-31; 2:1-4) diz  que o mundo foi criado em seis dias, mas a ciência prova o contrário. A história da formação da Terra está escrita nas camadas geológicas, ou seja, na própria Natureza. É possível fazer um estudo cronológico da Terra (quantidade de anos) através dos fósseis (restos de animais e plantas preservados em rochas, solos, cavernas ou gelos).  Desde que se notem traços de fogo, pode dizer-se com certeza que houve fogo ali; onde se vejam os da água, pode dizer-se que a água ali esteve; desde que se observem os de animais, pode dizer-se que viveram aí animais. Os seis dias da criação indicam períodos, cada um de, talvez, muitas centenas de milhares de anos. Os principais períodos são: primário, de transição, secundário, terciário, diluviano, pós-diluviano ou atual.

- A Terra era, pois, em sua origem, uma massa incandescente (matéria pastosa). Ela esfriou pouco a pouco, iniciando o resfriamento, como era natural, pela superfície, que então endureceu, ao passo que o interior se conservou fluido. Depois houve o aparecimento da vida orgânica, logo que a temperatura a  tornou possível. Os primeiros seres vivos que apareceram foram as plantas, depois os animais e por último o homem (4).

- Antes da formação da Terra, os elementos orgânicos, achavam-se, por assim dizer, em estado de fluido no Espaço, no meio dos Espíritos, ou em outros planetas, à espera da criação da Terra para começarem existência nova em novo globo.

 

Comentários (1): http://pt.wikipedia.org/wiki/Nicolau_Cop%C3%A9rnico;

(2): http://pt.wikipedia.org/wiki/Galileu_Galilei.

(3): http://educacao.uol.com.br/disciplinas/geografia/movimentos-da-terra-rotacao-translacao-e-estacoes-do-ano.htm. Data da consulta: 23/06/14.

(4): A Gênese. Cap.7. Item 24. A.K.

 

Perguntas para fixação:

1. Quem criou o Universo?

2. O Universo é constituído por quais elementos?

3. Qual é o nome da galáxia do qual fazemos partes?

4. Como é chamado o movimento que a Terra faz em torno do Sol?

5. Como os mundos são formados?

6. Se um mundo for destruído, para onde a matéria que foi desunida retorna?

7. Segundo os Espíritos, é possível saber o tempo de duração para a formação dos mundos?

8. Segundo a Bíblia, em quantos dias Deus criou o mundo?

9. Segundo a Ciência, os seis dias da criação representam o quê?

10. Como era o Planeta Terra no seu início de formação?

11. Onde estavam os Espíritos antes da formação do planeta Terra?

 

Subsídio para o Evangelizador:

            O Universo  abrange a infinidade dos mundos que vemos e dos que não vemos, todos os seres animados e inanimados, todos os astros que se movem no espaço, assim como os fluidos que o enchem.  (O Livro dos Espíritos. Livro 1. Cap. 3.  Allan Kardec).

            O Universo subdivide-se em aglomerados de galáxias (1), que se subdividem em grupos de galáxias (com aproximadamente entre 3 e 5 milhões de anos luz de diâmetro), que se subdividem em galáxias, que se subdividem em sistemas solares, que contêm corpos celestes, como estrelas, planetas, asteroides, entre outros. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Universo).

            O nosso Sol e todos os corpos que o acompanham fazem parte desses globos resplandecentes dos quais se compõe a Via-Láctea (nossa galáxia). Pode-se contar uma trintena de milhões de sóis, semelhantes a ele, que gravitam nessa imensa região, distanciados, uns dos outros, em mais de cem mil vezes o raio da órbita terrestre. ( A Gênese. Cap. 6. Item 33. Allan Kardec).  

            No nosso Sistema Solar existem oito planetas : em ordem crescente de distância do Sol, são os quatro planetas terrestres Mercúrio, Vênus, Terra e Marte, e depois os quatro gigantes gasosos Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Seis dos planetas são orbitados por um ou mais satélites naturais. Além disso, o Sistema Solar possui também pelo menos cinco planetas anões(2) e centenas de milhares de corpos menores do Sistema Solar. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Planeta).

            O Espaço universal é infinito ou limitado?

            Infinito. Supõe-no limitado: que haverá para lá de seus limites? Isto te confunde a razão, bem o sei; no entanto, a razão te diz que não pode ser de outro modo. O mesmo se dá com o infinito em todas as coisas. Não é na pequenina esfera em que vos achais que podereis compreendê-lo. (O Livro dos Espíritos. Questão 35. Allan Kardec).

            Como criou Deus o Universo?

            Para me servir de uma expressão corrente, direi: pela sua Vontade. Nada caracteriza melhor essa vontade onipotente do que estas belas palavras da Gênese - Deus disse: ''Faça-se a luz e a luz foi feita''. (O Livro dos Espíritos. Questão 38. Allan Kardec).

         Jesus foi o divino escultor da obra geológica do planeta. Não podemos afirmar que as formas da Natureza, em sua manifestação inicial, obedecessem a um molde preexistente, no sentido de imitação, porque todas  elas receberam o influxo sagrado do coração do Cristo (O Consolador. Questão 85. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).

        Hoje, não mais se ignora que os seres vivos, suas formas, estrutura, funcionamento orgânico e vida psíquica, longe de serem efeitos sobrenaturais ou fruto de acasos, resultam de estudos, observações e experimentações de longa duração, realizados por entidades espirituais de elevada hierarquia, colaboradoras diretas do Senhor, na formação e no funcionamento regular, sábio e metódico, da criação divina.

            Entidades realmente divinas, como intérpretes, ou melhor, executoras dos pensamentos do Criador, utilizam-se do Verbo - que é o pensamento fora de Deus - e pelo Verbo plasmam o pensamento na matéria; a força do Verbo, dentro das leis, age sobre a matéria, condensando-a, criando formas, arcabouços, para as manifestações individuais da vida. (Os Exilados da Capela. Cap. 4. Edgard Armond).

            Poderemos conhecer o modo de formação dos mundos (3)?

            Tudo o que a esse respeito se pode dizer e podeis compreender é que os mundos se formam pela condensação da matéria disseminada no Espaço. (O Livro dos Espíritos. Questão 39. Allan Kardec - Vide: Questão 87. O Consolador. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).

            Os planetas são, assim, formados de massas de matéria condensada, mas não ainda solidificada, destacadas da massa central pela ação da força centrifuga, e tornando, em virtude das leis do movimento, a forma esferoidal mais ou menos elíptica, segundo o grau de fluidez que conservaram. Um desses planetas é a Terra que, antes de estar resfriada e revestida de uma crosta sólida, deu nascimento à Lua (satélite natural), pelo mesmo modo de formação astral ao qual deve a sua própria existência.  (A Gênese. Cap.6. Item23. Allan Kardec).

            Pode um mundo completamente formado desaparecer e disseminar-se de novo no Espaço a matéria que o compõe?

            Sim, Deus renova os mundos, como renova os seres vivos. ( O Livro dos Espíritos. Questão 41. Allan Kardec). 

             Poder-se-á conhecer o tempo que dura a formação dos mundos: da Terra (4), por exemplo?

            Nada te posso dizer a respeito, porque só o Criador o sabe e bem louco será quem pretenda sabê-lo, ou conhecer que número de séculos dura essa formação. ( O Livro dos Espíritos. Questão 42. Allan Kardec). 

            A Bíblia diz  que o mundo foi criado em seis dias e põe a época da sua criação há quatro mil anos, mais ou menos, antes da era cristã. Anteriormente, a Terra não existia; foi tirada do nada: o texto é formal. Eis, porém, que a ciência positiva, a inexorável ciência, prova o contrário. A história da formação do globo terráqueo está escrita em caracteres irrecusáveis no mundo fóssil, achando-se provado que os seis dias da criação indicam outros tantos períodos, cada um de, talvez, muitas centenas de milhares de anos. ( O Livro dos Espíritos. Livro 1. Cap. 3. Item 59. Allan Kardec). 

            A Terra carrega consigo os traços evidentes de sua formação; acompanham-se-lhe as fases com uma precisão matemática nos diferentes terrenos que compõem a sua estrutura. O conjunto desses estudos constitui a ciência chamada Geologia.  A história da formação da Terra está escrita nas camadas geológicas, de maneira bem mais certa do que nos livros preconcebidos, porque é a própria Natureza que fala, que se põe a nu, e não a imaginação dos homens a criar sistemas. Desde que se notem traços de fogo, pode dizer-se com certeza que houve fogo ali; onde se vejam os da água, pode dizer-se que a água ali esteve; desde que se observem os de animais, pode dizer-se que viveram aí animais.

            O estudo das camadas geológicas atesta, como já se disse, formações sucessivas, que mudaram o aspecto do globo e lhe dividem a história em muitas épocas, que constituem os chamados períodos geológicos, cujo conhecimento é essencial para a determinação da Gênese. São em número de seis os principais, designados pelos nomes de períodos primário, de transição, secundário, terciário, diluviano, pós-diluviano ou atual. É essencial notar-se que o número desses períodos não é absoluto, e que depende dos sistemas de classificação.

            A Terra era, pois, em sua origem, uma massa incandescente. Em virtude da irradiação do calórico, deu-se o que se dá com toda matéria em fusão: ela esfriou pouco a pouco, principiando o resfriamento, como era natural, pela superfície, que então endureceu, ao passo que o interior se conservou fluido.

            Sob a influência da alta temperatura, a maior parte das substâncias que a compõem e que vemos sob a forma de líquidos ou de sólidos, de terras, de pedras, de metais e de cristais se achavam em estado muito diferente. Sofreram unicamente uma transformação. Em consequência do resfriamento, os elementos formaram novas combinações. O ar, enormemente dilatado, decerto se estendia a uma distância imensa; toda a água, forçosamente transformada em vapor, se encontrava misturada com o ar; todas as matérias suscetíveis de se volatilizarem, tais como os metais, o enxofre, o carbono, se achavam em estado de gás. O da atmosfera nada tinha, portanto, de comparável ao que é hoje; a densidade de todos esses vapores lhe dava uma opacidade que nenhum raio de sol podia atravessar. (A Gênese. Cap.7. Itens 1 , 13,14,17 e 18. Allan Kardec).

            Onde estavam os elementos orgânicos, antes da formação da Terra?

            Achavam-se, por assim dizer, em estado de fluido no Espaço, no meio dos Espíritos, ou em outros planetas, à espera da criação da Terra para começarem existência nova em novo globo. (O Livro dos Espíritos. Questão 45. Allan Kardec).

            Os primeiros habitantes da Terra, no plano material, são as células albuminoides , as  amebas e todas as organizações unicelulares, isoladas e livres, que se multiplicam  prodigiosamente na temperatura tépida dos oceanos.( A Caminho da Luz. Espírito Emmanuel. Cap. 2. Psicografado por Chico Xavier).  

            O quadro comparativo aqui abaixo, em o qual se acham resumidos os fenômenos que caracterizam cada um dos seis períodos, permite se considere o conjunto e se notem as relações e as diferenças que existem entre os referidos períodos e a Gênese bíblica ( A Gênese. Cap.12. Item 5. Allan Kardec).   

 

I. PERÍODO ASTRONÔMICO - Aglomeração da matéria cósmica universal, num ponto do espaço, em nebulosa que deu origem, pela condensação da matéria em diversos pontos, às estrelas, ao Sol, à Terra, à Lua e a todos os planetas. Estado primitivo, fluídico e incandescente da Terra. - Atmosfera imensa carregada de toda a água em vapor e de todas as matérias volatilizáveis.

1º DIA - O Céu e a Terra. - A luz

 

II. PERÍODO PRIMÁRIO. - Endurecimento da superfície da Terra, pelo resfriamento; formação das camadas graníticas. - Atmosfera espessa e ardente, impenetrável aos raios solares. - Precipitação gradual da água e das matérias sólidas volatilizadas no ar. - Ausência completa de vida orgânica.

2º DIA - O Firmamento - Separação das águas que estão acima do Firmamento das que lhe estão debaixo.

 

III. - PERÍODO DE TRANSIÇÃO. - As águas cobrem toda a superfície do globo. - Primeiros depósitos de sedimentos formados pelas águas. - Calor úmido. - O Sol começa a atravessar a atmosfera brumosa. - Primeiros seres organizados da mais rudimentar constituição. - Liquens, musgos, fetos, licopódios, plantas herbáceas. Vegetação colossal. - Primeiros animais marinhos: zoófítos, polipeiros, crustáceos. - Depósitos de hulha.

3º DIA - As águas que estão debaixo do Firmamento se reúnem; aparece o elemento árido. - A terra e os mares. - As plantas.

 

IV. PERÍODO SECUNDÁRIO. - Superfície da Terra pouco acidentada; águas pouco profundas e paludosas. Temperatura menos ardente; atmosfera mais depurada. Consideráveis depósitos de calcáreos pelas águas. - Vegetação menos colossal; novas espécies; plantas lenhosas; primeiras árvores. - Peixes; cetáceos; animais aquáticos e anfíbios.

4º DIA - O Sol, a Lua e as estrelas.

 

V. PERÍODO TERCIÁRIO. - Grandes intumescimentos da crosta sólida; formação dos continentes. Retirada das águas para os lugares baixos; formação dos mares. - Atmosfera depurada; temperatura atual produzida pelo calor solar. - Gigantescos animais terrestres. Vegetais e animais da atualidade. Pássaros.

5º DIA - Os peixes e os pássaros.

 

DILÚVIO UNIVERSAL

 

VI. PERÍODO QUATERNÁRIO OU PÓS-DILUVIANO. -

Terrenos de aluvião. - Vegetais e animais da atualidade. - O homem.

6º DIA - Os animais terrestres. - O homem.

          

            Desse quadro comparativo, o primeiro fato que ressalta é que a obra de cada um dos seis dias não corresponde de maneira rigorosa, como o supõem muitos, a cada um dos seis períodos geológicos. A concordância mais notável se verifica na sucessão dos seres orgânicos, que é quase a mesma, com pequena diferença, e no aparecimento do homem, por último. É esse um fato importante.

            Um dos pontos que mais criticados têm sido na Gênese é o da criação do Sol depois da luz.

            Há, pois, evidentemente, um anacronismo na ordem que Moisés estabeleceu para a criação do Sol; mas, involuntariamente ou não, ele não errou, dizendo que a luz precedeu o Sol.

            O Sol não é o princípio da luz universal; é uma concentração do elemento luminoso em um ponto, ou, por outra, do fluido que, em dadas circunstâncias, adquire as propriedades luminosas. Esse fluido, que é a causa, havia necessariamente de preceder ao Sol, que é apenas um efeito. O Sol é causa para a luz que ele esparge, mas é um efeito com relação àquela que recebeu.

            Em princípio, pois, a asserção de Moisés é perfeitamente exata: é falsa no fazer crer que a Terra tenha sido criada antes do Sol. Estando, pelo seu movimento de translação, sujeita a esse último, a Terra houve de ser formada depois dele. É o que Moisés não podia saber, pois que ignorava a lei de gravitação.

            Moisés, evidentemente, partilhava das mais primitivas crenças sobre a cosmogonia. Como os do seu tempo, ele acreditava na solidez da abóbada celeste e em reservatórios superiores para as águas. Essa idéia se acha expressa sem alegoria, nem ambigüidade, neste passo (versículos 6 e seguintes) : «Deus disse: Faça-se o Firmamento no meio das águas para separar das águas as águas. Deus fez o Firmamento e separou as águas que estavam debaixo do Firmamento das que estavam por cima do Firmamento.»

            Segundo uma crença antiga, a água era tida como o princípio primitivo, o elemento gerador, pelo que Moisés não fala da criação das águas, parecendo que já elas existiam. (...) Imaginou-se então que Deus fizera o Firmamento, uma abóbada sólida, para separar as águas de cima das que estavam sobre a Terra.

            Para espíritos incultos, sem nenhuma idéia das leis gerais, incapazes de apreender o conjunto e de conceber o infinito, essa criação milagrosa e instantânea apresentava qualquer coisa de fantástico que feria a imaginação. O quadro do Universo tirado do nada em alguns dias, por um só ato da vontade criadora, era, para tais espíritos, o sinal mais evidente do poder de Deus. (...)Uma teoria científica e racional da criação os deixaria frios e indiferentes.

            Não rejeitemos, pois, a Gênese bíblica; ao contrário, estudemo-la, como se estuda a história da infância dos povos. Trata-se de uma época rica de alegorias, cujo sentido oculto se deve pesquisar; que se devem comentar e explicar com o auxílio das luzes da razão e da Ciência. ( A Gênese. Cap. 12. Itens 6, 8, 9 e 12. Allan Kardec).

 

Observação (1): Existem provavelmente mais de 170 bilhões de galáxias no universo observável. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Gal%C3%A1xia)

 

Observação (2): Atualmente conhecem-se cinco planetas anões no sistema solar, são eles: Ceres, Plutão, Haumea, Makemake e Éris (...). (http://pt.wikipedia.org/wiki/Planeta_an%C3%A3o)

 

Observação (3): Muitos cientistas terrestres têm procurado explicações para a origem do Universo.  De acordo com o modelo científico vigente do Universo, conhecido como Big Bang (grande explosão), o Universo surgiu de um único ponto ou singularidade onde toda a matéria e energia do universo observável encontrava-se concentrada numa fase densa e extremamente quente chamada Era de Planck. A partir da Era Planck, o Universo vem se expandindo até sua atual forma, possivelmente com curtos períodos de inflação cósmica. (...) Com base em dados coletados pelo satélite Planck, as interpretações de observações astronômicas indicam que a idade do Universo é de 13.82 bilhões de anos, e seu diâmetro é de 93 bilhões de anos-luz ou 8,80 ×1026 metros (http://pt.wikipedia.org/wiki/Universo).

 

Observação (4): Segundo a ciência terrestre, acredita-se que a Terra tenha se formado cerca de 4,5 bilhões de anos atrás.

 (http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/afp/2014/02/24/estudo-mostra-que-crosta-terrestre-tem-pelo-menos-44-bilhoes-de-anos.htm)

 

Bibliografia:

- O Livro dos Espíritos. Livro 1. Cap. 3. Questões, 35, 38, 39, 41, 42, 45. Item 59. Allan Kardec.

- A Gênese. Cap. 6, itens 23, 33. Cap.7, itens 1, 13,14,17 e 18. Cap.12, itens 5 6, 8, 9 e 12. Allan Kardec.

- O Consolador. Questões 85, 87. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

- A Caminho da Luz. Espírito Emmanuel. Cap. 2. Psicografado por Chico Xavier.

- Os Exilados da Capela. Cap. 4. Edgard Armond.

- Bíblia: Gênesis 1: 1-31; 2:1-4.

- Sites: http://pt.wikipedia.org/wiki/Universo ; http://pt.wikipedia.org/wiki/Planeta

http://pt.wikipedia.org/wiki/Gal%C3%A1xia; http://pt.wikipedia.org/wiki/Planeta_an%C3%A3o; http://pt.wikipedia.org/wiki/Universo; http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/afp/2014/02/24/estudo-mostra-que-crosta-terrestre-tem-pelo-menos-44-bilhoes-de-anos.htm. Data da consulta: 24/06/14.